logo Gusmão
Fale Conosco

(11) 3998-2020

Movimentação do vidro requer equipamentos seguros e funcionais; confira


O manuseio do vidro é um procedimento bastante complexo que precisa ser feito com cuidado e com os equipamentos certos. O vidro é um produto delicado e que não pode ser submetido à impactos com frequência. Em diversas etapas de utilização do vidro é importante o uso de equipamentos e ferramentas especiais, com diversas funções. Os equipamentos podem ser manuais ou automáticos, oferecendo praticidade e segurança na movimentação.

Em fábricas, a movimentação do vidro é feita por empilhadeiras, ventosas, pinças entre outros equipamentos. Cada um com o suporte necessário para cada tipo de vidro levando em consideração o tamanho e peso.

Nas usinas de base, o vidro é fabricado em chapas de grande porte de tamanho pré-definido, que, com a ajuda de ventosas, são acondicionadas nos colares, paralelas umas às outras e perpendiculares ao solo. “No nível do piso, carrinhos e cavaletes com rodas são alguns dos equipamentos necessários para movimentação das chapas ou dos colares”, explica Yveraldo Gusmão, diretor da Gusmão Representações. “Na processadora, as ventosas são responsáveis tanto por conduzir o vidro da mesa de corte até a lapidadora como pelo giro da chapa durante o processo de lapidação. ”

Representante de tradicionais fabricantes internacionais de máquinas para vidro, a Gusmão oferece classificadores, pinças para até 1.000 kg e ventosas para gruas - manuais e motorizadas. Além do classificador automático para armazenagem de vidros, equipado com sensores de segurança, que permite organizar os estoques em um único local, outro equipamento em destaque é a pinça do tipo mordaça, da marca argentina Rial, com abertura de embocadura de 3 a 35 mm, altura máxima de 900 mm e capacidade de até 1.000 kg de carga. O produto garante a movimentação segura de chapas entre a área de recebimento e a área de armazenamento, e da área de armazenamento até as mesas de corte. 


Comentários